Seguidores

quarta-feira, 24 de junho de 2015

PANELA DE PEDRA-SABÃO

                                          PANELA DE PEDRA-SABÃO

As panelas de pedra-sabão são uma das mais antigas da história da culinária e têm a vantagem de durarem por muitos e muitos anos. Não possuem cheiro, não alteram o sabor dos alimentos e os mantêm quentes por longo tempo. Não são atacadas por ácidos e são bonitas.

A natureza anti-aderente e a capacidade de reter calor por muito tempo são as características mais atrativas. Mas as qualidades não param por aí. Qualquer prato pode ser preparado na panela de pedra: arroz, feijão, angu, carne de qualquer espécie, legumes, verduras. Entretanto, ganham sabor especial pratos de preparo mais demorado: feijoada, frango com quiabo, carne-de-panela, por exemplo.

Esse utensílio libera quantidades expressivas de elementos nutricionalmente importantes como cálcio, magnésio, ferro e manganês. A panela é comprada ''crua'', por isso a cor dela é clara. Entretanto, antes de ser utilizada, é necessário que ela seja preparada ou curada. Com este preparo ela pode ser usada na elaboração de suas receitas sem perigo de quebrar e suporta até 1.000°C. Esta técnica evita que o níquel (um mineral bastante tóxico) passe para a comida. Veja abaixo como proceder.

Preparando a panela de pedra-sabão
Unte a panela com azeite de oliva ou qualquer outra gordura de sua preferência (óleo, banha) tanto na parte interna como na externa;

Cubra o fundo a panela com fubá mimoso.

Cada vez que usar o forno, depois de desligado, coloque a panela untada e com o fubá no fundo dentro do forno quente. Repita a operação, pelo menos, umas 10 vezes.

Depois de curada no forno, é preciso, ainda, "acostumar" a panela à chama do fogo. Para isso, coloque água até a metade da panela e leve-a ou fogo, deixando ferver a água por aproximadamente meia hora.

Para garantir que sua panela de pedra tenha, realmente, a durabilidade possível, é conveniente que os primeiros alimentos nela preparados seja bem líquidos, como sopa, o refogado do feijão, etc...

Esse método acima descrito é o mais tradicional, centenariamente usado nas Minas Gerais. Mas, o mundo mudou e as pessoas têm pressa. Assim, se preferir, pode usar a forma mais "moderna" citada abaixo:

Em seguida encha a panela de água e leve ao forno médio (180°C) por 2 horas ou se preferir leve ao fogo e deixe a água ferver por 30 a 40 minutos. Retire do fogo;

Deixe a água e a panela esfriarem e repita a operação mais uma vez.
Dicas:
Só lave a panela de pedra-sabão com água e sabão. Nada de produtos abrasivos nem esponja de aço.

Nos primeiros dias de uso, evite choque térmico forte. Não aqueça a peça a seco para depois despejar líquidos frios. Isso pode danificar definitivamente a panela.

Nas primeiras vezes que for usar a panela não faça frituras.


Nunca coloque uma panela quente de pedra quente em uma superfície gelada, pois ela pode rachar. Acredite nisso, pois elas racham mesmo.


terça-feira, 23 de junho de 2015

CHEESECAKE COM CALDA DE CEREJA




INGREDIENTES:

125 gramas de biscoito maisena
75 gramas de manteiga amolecida
300 gramas de cream cheese
60 gramas de açucar de confeiteiro
1 colher (chá) essência de baunilha
1/2 colher (chá) suco de limão
250 ml de creme de leite fresco
1 vidro (284g) de geléia de cereja

MODO DE PREPARO:

   Bata os biscoitos no processador de alimentos até que esfarelem (ou no liquidificador).
   Junte a manteiga e bata de novo até que virem uma massa compacta (se usar o liquidificador, misture a manteiga com os biscoitos esfarelados com a mão, em uma tigela).
   Pressione esta mistura no fundo de uma forma redonda com o fundo removível de 20 cm de diâmetro. Pressione bem os lados para que eles fiquem um pouco mais altos do que o fundo.


   Bata juntos o cream cheese, o açúcar, a essência de baunilha e o limão, até a mistura ficar cremosa.
   Bata o creme de leite e junte-o à mistura de cream cheese. 
   Espalhe sobre a base de biscoitos e alise com uma espátula.


   Deixe na geladeira por 3 (três horas) ou de um dia para o outro.
   Na  hora de servir, desenforme a cheesecake e espalhe por cima a geléia de cereja.



segunda-feira, 22 de junho de 2015

BOLO DE IOGURTE



Sempre faço este bolo e é uma delícia! 


INGREDIENTES:

1 copo de iogurte desnatado
3 ovos
2 xícaras (chá) de açúcar
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
½ xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) óleo
1 colher fermento


MODO DE PREPARO:


Bater todos os ingredientes no liquidificador.
Untar uma forma com manteiga e polvilhar açucar. 
Coloque a massa na forma.
Leve para assar.
Eu costumo bater manualmente este bolo.
Gosto de comprar o iogurte da Vigor as vezes faço com iogurte natural.





SONETO DE FIDELIDADE


Vinicius de Moraes

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.


Vinicius de Moraes, "Antologia Poética", Editora do Autor, Rio de Janeiro, 1960, pág. 96.

TORTA CREMOSA DE COCO E REQUEIJÃO


Perfeita! É muito deliciosa! Eu coloquei em uma formo de bolo inglês.


INGREDIENTES

TORTA:


6 ovos
1 lata de leite condensado (395 g)
1 copo de requeijão (220 g)
150 g de coco ralado fresco
1 colher (sopa) de açúcar

CALDA BRANCA


½ xícara (chá) de leite condensado
¼ xícara (chá) de creme de leite fresco


MODO DE PREPARO:

Torta

1 - Num liquidificador coloque 6 ovos, 1 lata de leite condensado, 1 copo de requeijão (220 g), 150 g de coco ralado fresco e bata por uns 5 minutos.

2 - Transfira a mistura para uma fôrma canelada (20 cm de diâmetro) de fundo falso forrada com papel manteiga e untada com manteiga. Polvilhe 1 colher (sopa) de açúcar e leve para assar em forno médio pré-aquecido a 180°C por +/- 30 minutos ou até firmar. Retire do forno, leve à geladeira por pelo menos 2 horas, desenforme e sirva em seguida.

Calda Branca

1 - Numa tigela coloque ½ xícara (chá) de leite condensado, ¼ xícara (chá) de creme de leite fresco, misture e utilize em seguida








sexta-feira, 19 de junho de 2015

O PALÁCIO JAPONÊS




Pedro, um pintor solitário, há muito não produz um quadro. Em uma de suas freqüentes visitas à Praça da República, em São Paulo, descobre um magnífico palácio oculto onde vive um pequeno príncipe japonês chamado Tetsuo. O menino, acometido por uma doença incurável, descobre em Pedro um aliado de seu destino. O pintor começa a recriar em seu ateliê as paisagens e os elementos do misterioso mundo de seu sonho. E o faz com tal força e beleza que suas obras são consideradas dignas de uma exposição, reabrindo ao pintor as galerias de arte da cidade.

Um livro perfeito que li quando criança e me apaixonei pela história.
Um livro pequeno mas com uma história emocionante.

A ROSA BRANCA - flor da vida.
A ROSA VERMELHA - flor da morte.

Todas as vezes que eu leio o livro me emociono.


BATOM MAC


Oi gente!

Para quem gosta de um batom vermelho  o da MAC, cor  RUBY WOO é perfeito!

Eu comprei no próprio site da Mac e chegou rapidinho!


O site é:  http://www.maccosmetics.com.br/





SOBREMESA COM MORANGOS

SOBREMESA LEVE E SAUDÁVEL 


Quer uma sobremesa leve e que não pesa na sua consciência?
Que tal morangos com creme de leite, açúcar mascavo e aveia?

Sempre faço e fica uma delícia!



quinta-feira, 18 de junho de 2015

BOA TARDE


BOA TARDE!

Que sua tarde seja repleta de luz!
Muita paz!
Obrigada Senhor por mais um dia!



quarta-feira, 17 de junho de 2015

LIVRO: FERNÃO CAPELO GAIVOTA

Fernão Capelo Gaivota


   É um romance de Richard Bach, publicado em 1970. Publicado originalmente nos Estados Unidos com o título de "Jonathan Livingston Seagull — a story", foi lançado neste mesmo ano no Brasil como "A História de Fernão Capelo Gaivota" pela editora Nórdica.

Sinopse
Uma gaivota de nome Fernão decide que voar não deve ser apenas uma forma para a ave se movimentar. A história desenrola-se sobre o fascínio de Fernão pelas acrobacias que pode modificar e em como isso transtorna o grupo de gaivotas do seu clã. É uma história sobre liberdade, aprendizagem e amor.

Parte I
A primeira parte do livro mostra o jovem Fernão Capelo Gaivota frustrado com o materialismo e o significado da conformidade e da limitação da vida de uma gaivota. Ele é confrontado com paixão pelos voos de todos os tipos, e a sua alma descola com as suas experiências e emocionantes triunfos de ousadia e feitos aéreos. Eventualmente, a sua falta de conformismo à limitada vida de gaivota leva-o a entrar em conflito com o seu bando e virarem-se contra ele. Ele torna-se um banido. Não obstante disso, Fernão continua os seus esforços para atingir objetivo e voos mais altos, muitas vezes bem sucedidos, mas eventualmente sem o conseguir tanto quanto desejaria. Em seguida ele é encontrado por duas radiantes gaivotas que lhe explicam que ele já aprendeu muito e agora elas estão lá para ensinar-lhe mais. Ele então passa a segui-las.

Parte II
Na segunda parte, Fernão transcende a uma outra sociedade onde todas as gaivotas desfrutam da paixão pelo vôo. Ele só é capaz de praticar essa habilidade após duras horas de muito treino de vôo. Nesta outra sociedade, o respeito real surge em contradição com a força coercitiva que estava mantendo o antigo bando junto. O processo de aprendizagem, que liga os professores altamente experientes aos alunos dedicados, é aumentado a quase um nível sagrado, sugerindo que esta pode ser a verdadeira relação entre homem e Deus. O autor considera que certamente humano e Deus, independentemente de todas as enormes diferenças, estão compartilhando algo de grande importância que podem vincula-los juntos: "Você tem de compreender que uma gaivota é uma ilimitada ideia de liberdade, uma imagem da Grande Gaivota ". Ela sabe que você tem que ser fiel a si mesmo.

Parte III
A introdução à terceira parte do livro é composta pelas últimas palavras do professor de Fernão: "Fernão, continua a trabalhar no amor". Nesta parte Fernão entende que o espírito não pode ser verdadeiramente livre sem a capacidade de perdoar e o caminho do progresso passa pela capacidade de tornar-se um professor - e não somente pelo trabalho árduo como um aluno. Fernão volta para o antigo bando para compartilhar suas ideias, suas descobertas recentes e sua grande experiência. Pronto para a difícil luta contra as atuais normas da referida sociedade, a capacidade de perdoar parece ser uma obrigatoriedade para a condição de passagem.

"Vocês querem voar tão alto a ponto de perdoar o bando, aprender e voltar a eles um dia e trabalhar para ajudá-los a se conhecerem?" Fernão pergunta ao seu primeiro estudante antes de iniciar o aprendizado. A ideia de que os mais fortes podem atingir mais por deixar para trás os mais fracos amigos parece totalmente rejeitada.


Daí o amor e o perdão merecem respeito e parecem ser igualmente importantes para libertar-se da pressão de obedecer às regras apenas porque são comumente aceitas. 

Dados: Wikipédia



PANELAS DE BARRO

Panelas de barro

   A confecção de panelas de barro no Brasil tem uma tradição de 400 anos no Espírito Santo, tendo sido iniciada pelos índios e atualmente produzidas pela população local de forma mais rústica. Depois de confeccionadas são queimadas em fogueiras feitas ao ar livre. Ainda quentes são recobertas por tanino que dá a coloração característica da panela.

   Não existem estudos sobre a migração de substâncias tóxicas destas panelas para os alimentos.

   Antes de usar pela primeira vez, a panela de barro deve ser curada com óleo para impermeabilizá-la. Há quem a deixe de molho em água fervente, em banho-maria, por 20 minutos. Técnica útil também para eliminar odores.

   DICA: para evitar rachaduras, recomenda-se esperar a panela esfriar antes de lavá-la, o que deve ser feito sempre com esponja macia e detergente neutro.

   Eu sou apaixonada por esse tipo de panela. E não tenho dificuldades em usá-la, demora um pouco mais para aquecer, mas o sabor dos alimentos é maravilhoso.


   Sempre faço arroz com frango na panela e, no caso de arroz, eu recomendo desligar um pouco antes de secar toda água. Já que ela conserva o alimento quente por mais tempo. Também muito boa para peixes e caldos.

   Eu indico e tenho certeza após experimentar um alimento feito na panela vai querer usá-la todos os dias!





BOM DIA!

Qual seria o pensamento ou a frase para hoje?
Eu diria que JAMAIS JULGUE sem ouvir os dois lados da história.
Se você ouvir somente um lado, não saberá realmente o que aconteceu.
Porque os dois lados podem estar certos, mas podem estar errados.
Sempre existirá uma verdade e uma mentira...
Nossa sabedoria está em saber ouvir ambos os lados para depois tomarmos alguma decisão.
Decisões precipitadas, ainda mais sem ouvir ambos os lados podem trazer consequências desastrosas e desagradáveis.
E muitas vezes tais atitudes não podem sofrer reparos no futuro. Uma vez tomada uma decisão errada ou mesmo uma atitude errada não tem como consertar.
Eu entendo que somente DEUS não precisa ouvir os dois lados de uma história. Porque Ele tudo sabe e tudo conhece.
Agora nós, meros humanos, não temos o poder de tudo saber.
Existe muitas pessoas que por ganância mentem e com isso conseguem a desunião entre as pessoas.
Desejo um dia de muita paz e luz!



PUDIM DE LEITE CONDENSADO

PUDIM DE LEITE CONDENSADO


Receita simples e maravilhosa! Mas para as que ainda não fizeram este maravilhoso pudim eis a receita:


INGREDIENTES:

- 1 lata de leite condensado
- 1 lata de leite
- 3 ovos


CALDA:

1 xícara (chá) de açúcar
1/3 xícara (chá) de água



MODO DE PREPARO:

1. Derreta o açúcar numa frigideira, adicione a água formando uma calda.

2. Unte a forma com a calda.

3. Bata os ingredientes liquidificador e despeje na forma caramelizada.

4. Leve para assar em banho maria, por aproximadamente 40 minutos.


5. Desenforme e sirva.


terça-feira, 16 de junho de 2015

COSTELINHA DE PORCO NA CERVEJA

COSTELINHA DE PORCO NA CERVEJA

Ingredientes

2.5kg de costelinha de porco (com osso e peça para o seu açougueiro separar as mais "carnudas" pq depois de duas horas de forno, a tendência é elas diminuires de tamanho)
- 200gr de bacon defumado, cortado em cubos
- 2 cebolas médias picadas em tiras
- 1 garrafa long neck de cerveja, de preferência escura
- 2 xícaras de caldo de carne aquecido
- 1 folha de louro
- 2 colheres de sobremesa de extrato de tomate
- 2 colheres de sopa de óleo de cozinha
- sal e pimenta

Modo de preparo:

- Pré-aquecer o forno a 180°
- Retire o excesso de gordura da carne
- Tempere com sal e pimenta (em média 1 colher de chá de sal e ½ colher de chá de pimenta)
- Aqueça duas colheres de sopa de oleo em uma panela. Quando o óleo estiver bem quente, doure (bem) as costelas aos poucos (para evitar a superlotação). Reserve a carne que já está dourada em uma assadeira coberta com alumínio.

MODO DE PREPARO:

- Na mesma panela, doure o bacon por cerca de 5 minutos. Adicione a cebola, mexa e deixe fritar até dourar, mais 5 minutos. Adicione o extrato de tomate, frite um pouco, o caldo aquecido, a cerveja e a folha de louro e deixe ferver, mexendo para misturar bem.
- Adicione as costelas ao caldo. Tampe a panela e ferva por 10 minutos
- Devolva a carne, junto com todo o caldo à assadeira, tampe com papel alumínio, coloque no forno e asse por cerca de 1 hora. Retire do forno, vire as costelas e volte para assar, por mais 1 hora.
- Quando a carne estiver macia, retire do forno, separe as costelas em um local aquecido (por exemplo, forno DESLIGADO e semi-aberto) e coloque o caldo de volta na panela para engrossar/reduzir (se estiver grosso o suficiente quando você tirá-lo do forno, pule esta etapa. Se estiver é muito grosso, adicione um pouco de água, cozinhando e mexendo para misturar)

- Retire a folha de louro e adicione sal se necessário. Sirva as costelas com molho pincelado sobre elas.

BOLO DE MILHO CREMOSO

BOLO DE MILHO CREMOSO

INGREDIENTES:

50 G DE MANTEIGA DERRETIDA
2 XÍCARAS (CHÁ) DE LEITE
1 ½ XÍCARA (CHÁ) DE AÇÚCAR
3 OVOS
3 ESPIGAS GRANDES DE MILHO VERDE
¼ XÍCARA (CHÁ) FARINHA DE TRIGO
1 COLHER (SOPA) DE FERMENTO EM PÓ
1 PITADA DE SAL


OPCIONAL: 100 GRAMAS DE COCO RALADO, 1 VIDRO DE  LEITE DE COCO E QUEIJO RALADO.

COMO FAZER:

RETIRE COM UMA FACA OS GRÃOS DAS ESPIGAS.
UNTE COM MANTEIGA UMA FORMA MÉDIA PARA BOLO E POLVILHE COM AÇÚCAR.
AQUEÇA O FORNO EM TEMPERATURA ALTA.
COLOQUE NO LIQUIDIFICADOR O LEITE, OS OVOS E OS GRÃOS DE MILHO.
BATA PARA QUE FIQUE BEM CREMOSO.
ADICIONE O AÇUCAR E A MANTEIGA DERRETIDA.
BATA POR MAIS 30 SEGUNDOS E ACRESCENTE A FARINHA E O SAL.
COLOQUE EM UMA TIGELA.
ACRESCENTE O FERMENTO E MISTURE COM UMA COLHER DE PAU PARA INCORPORAR BEM.
DESPEJE NA FORMA E LEVE AO FORNO.
APÓS 20 MINUTOS DIMINUA A TEMPERATURA PARA MÉDIA E ASSE POR MAIS 30 MINUTOS APROXIMADAMENTE.



Obs.: Se quiser adicione 100 gramas de coco ralado, coloquei queijo ralado e também um vidro de leite de coco.